Reforma pode ficar para o próximo presidente, admite Maia

ara Maia, o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar as mudanças.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na quarta-feira (31) que se a reforma da Previdência não for aprovada em fevereiro, não colocará mais o assunto em pauta. Isso significa que a proposta só será discutida novamente pelo presidente eleito em 2018. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

“Sem a reforma a gente não sabe o que vai acontecer com o Brasil, mas não vou ficar nessa agenda a vida inteira. Não dá para carregar isso além do mês de fevereiro. Votou em fevereiro, votou. Não votou, será a agenda da eleição, do próximo presidente. Vamos ver quem vai enfrentar o tema de forma transparente, de forma aberta”, afirmou.

Para Maia, o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar as mudanças. “Alguns defendem que é esse texto ou nada. Acho que se tiver voto com esse, ótimo. Se tiver voto para outro, bom. Ninguém vai achar que mesmo o próximo governo se eleito com força vai fazer uma reforma previdenciária profunda. Não vai fazer”, afirmou Maia.

Estratégias

O presidente Michel Temer tem intensificado a sua participação em programas de TV e rádio para falar sobre a reforma da Previdência e tentar, de alguma forma, ganhar apelo popular, para pressionar os parlamentares.

Comentários

premium

Cadastrar

Para ler suas notificações, registre-se no Giro Business. Nós o manteremos informado sobre os tópicos que mais lhe interessam.

Login com Facebook Login com LinkedIn Cadastrar com e-mail
Já é cadastrado? Clique aqui

Login

Esqueci minha senha

Escreva seu email abaixo e você receberá um e-mail de recuperação da senha