Presidente dos Correios diz que fechamento de agências faz parte de modernização

Em entrevista, Fortner diz que, antes de qualquer fechamento, vai analisar uma por uma.

O presidente interino dos Correios, Carlos Fortner, afirmou em entrevista ao site Exame que a decisão de fechar 513 agências e demitir servidores faz parte do projeto de modernização da estatal. Por outro lado, esse número, segundo ele, pode aumentar ou diminuir a depender do estudo que ele solicitou e pode ficar pronto ainda essa semana.

“Não é cabível numa empresa que quer ser modernizada, que quer se atualizar, que quer estar saudável, ter uma agência a 50 metros uma da outra, gastando com dois imóveis e assim por diante Copacabana (RJ) tem agências a um quarteirão da outra. Não faz o menor sentido isso”, diz.

Em entrevista, Fortner diz que, antes de qualquer fechamento, vai analisar uma por uma. “Estarei recebendo nesta semana as fichas de cada uma dessas agências. Nós vamos avaliar todas elas. Ao fim, tudo isso será repassado para o Ministério das Comunicações e para o Ministério do Planejamento também. Terá uma apresentação ao TCU. Esse prazo de maio que está indicado é um cronograma tentativo. Para mim, é algo que ficará só a partir do segundo semestre.”

Ele garantiu que o fechamento não vai ocorrer de uma hora para outra. “Nós estamos fazendo isso com cuidado. Não é uma decisão simplesmente de caráter econômico. Vamos revisar agência por agência. Teremos dia 8 uma reunião na Secretaria de Planejamento onde esse tema tem sido recorrente. Estou sendo cobrado. Mas fazer o quê? Não ficou maduro para maio. Não vou fechar agência a torto e direito.”

Comentários

premium

Cadastrar

Para ler suas notificações, registre-se no Giro Business. Nós o manteremos informado sobre os tópicos que mais lhe interessam.

Login com Facebook Login com LinkedIn Cadastrar com e-mail
Já é cadastrado? Clique aqui

Login

Esqueci minha senha

Escreva seu email abaixo e você receberá um e-mail de recuperação da senha