Google admite que Rússia usou seus anúncios para influenciar eleições americanas

De acordo com o jornal, a Rússia pretendia investir em desinformação em plataformas como Gmail e Youtube para propagar notícias falsas ao eleitorado.

O Google admitiu que a Rússia usou as suas plataformas para interferir nas eleições americanas de 2016. É a primeira vez que a gigante americana comenta diretamente sobre o assunto. As informações são do jornal The Washington Post.

De acordo com o jornal, a Rússia pretendia investir em desinformação em plataformas como Gmail e Youtube para propagar notícias falsas ao eleitorado. O que surpreendeu a gigante, é que estes anúncios não têm ligação direta com o grupo Kremlim, que comprou anúncios no Facebook.

No mês passado, informou a agência EFE, o Google minimizou o fato e disse que a empresa está sempre vigiando “abusos e violações”. Desta vez, no entanto, em uma investigação mais profunda, a americana descobriu que os anúncios comprados pela Rússia podem chegar a R$ 100 mil.

Não só o Google, mas o Facebook e o Twitter estão sendo pressionados pelo Congresso americano. As três grandes companhias podem ter de enfrentar novas regulamentações no país por causa desses problemas.

Comentários

premium

Cadastrar

Para ler suas notificações, registre-se no Giro Business. Nós o manteremos informado sobre os tópicos que mais lhe interessam.

Login com Facebook Login com LinkedIn Cadastrar com e-mail
Já é cadastrado? Clique aqui

Login

Esqueci minha senha

Escreva seu email abaixo e você receberá um e-mail de recuperação da senha