Exposição Queermuseu (Fred Ribeiro)

Exposição erótica apoiada pelo Santander é cancelada após polêmica

Mostra apoiada pelo banco Santander foi alvo de denúncias por escárnio religioso e apologia à zoofilia e à pedofilia

Continua a polêmica em torno da exposição Queermuseu, aberta há mais de um mês no Espaço Santander Cultural, localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na capital do Rio Grande do Sul.

Em cartaz desde 15 de agosto e prevista para sair de cena somente em 8 de outubro, a mostra foi cancelada ontem (domingo, 10), após protestos que indicavam apologia à zoofilia e à pedofilia e o escárnio a símbolos religiosos nas obras expostas.

Um dos itens mais polêmicos foi o quadro “Cena de Interior II”, da artista carioca Adriana Varejão, que retrata práticas sexuais grupais, heteros e homossexuais, entre pessoas de diferentes raças, inclusive com a “participação” de animais. Outro quadro exposto, “Travesti da Lambada e Deusa das Águas”, de Bia Leite, foi associado à pedofilia ao retratar crianças como travestis, enquanto “Cruzando Jesus Cristo com Deusa Schiva”, de Fernando Baril, sincronizava a figura de Cristo crucificado à da divindade hindu.

Quadro “Cena de Interior II”, de Adriana Varejão

No decorrer desta segunda (11), diversas entidades LGBTs lançaram notas de repúdio ao cancelamento da exposição, posição que encontrou eco no parecer do curador do evento, Gaudêncio Fidelis. “A obra é feita sob uma perspectiva positiva da comunidade LGBT sobre enfrentar o preconceito, o bullying e todas as questões que dizem respeito à manifestação de gênero. Nunca imaginei na minha vida profissional que uma pintura como aquela pudesse ser atribuída ao caráter de incitação à pedofilia. É uma desconexão”, considerou.

Em texto publicado no Ministério da Cultura, discorrendo sobre os objetivos e formas do projeto do Queermuseu, chama a atenção o caráter “educativo” e “escolar” que se pretendia conferir à mostra: “Este programa visa fortalecer laços com educadores, estudantes, artistas e outros profissionais ligados a experiência pedagógica das artes visuais. Pretende-se com o resultado aproximar o público escolar das diversas linguagens da arte contemporânea e seus autores. Instituições com visitas pré-agendadas contarão com monitores e participação no Programa Educativo do Santander Cultural para Públicos Especiais, principalmente escolas tanto da rede pública como privada.”

Quadro “Travesti da Lambada e Deusa das Águas”, de Bia Leite

Comentários

premium

Cadastrar

Para ler suas notificações, registre-se no Giro Business. Nós o manteremos informado sobre os tópicos que mais lhe interessam.

Login com Facebook Login com LinkedIn Cadastrar com e-mail
Já é cadastrado? Clique aqui

Login

Esqueci minha senha

Escreva seu email abaixo e você receberá um e-mail de recuperação da senha