Dólar a R$ 5,30 era um exercício e não uma previsão, esclarece SPX

“Confundiram um exercício com uma profecia”, disse o economista ao Estadão.

Na última sexta-feira (08), um dos sócios da gestora SPX, Beny Partes, conversou com o jornal O Estado de São Paulo a fim de explicar o suposto cenário previsto por Rogério Xavier, da SPX Capital, do dólar chegar a R$ 5,30. A fala do gestor, que viralizou em conversas no WhatsApp, causou um reboliço no mercado em meio ao crescimento acelerado da moeda americana.

Partes explicou à publicação que o cenário do dólar a R$ 5,30 é apenas um exercício de projeção, que toda gestora faz para otimizar o controle de risco. Esta previsão apocalíptica só ocorreria, segundo ele, em um cenário em que o Federal Reserve elevaria os juros muito mais alto que deveria e as eleições brasileiras fossem vendidas para um candidato que abandonasse as reformas.

“Confundiram um exercício com uma profecia”, disse o economista ao Estadão.

A ‘previsão’ apocalíptica

Rogério Xavier, fundador da SPX Capital e um dos investidores mais respeitáveis do mercado, disse em evento fechado do BGT Pactual que a situação do Brasil é caótica: PIB crescendo apenas 0,8% em 2018, dólar a R$ 5,30 e o BC subindo os juros rapidamente para conter a pressão.

Comentários

premium

Cadastrar

Para ler suas notificações, registre-se no Giro Business. Nós o manteremos informado sobre os tópicos que mais lhe interessam.

Login com Facebook Login com LinkedIn Cadastrar com e-mail
Já é cadastrado? Clique aqui

Login

Esqueci minha senha

Escreva seu email abaixo e você receberá um e-mail de recuperação da senha